Guia completo com 12 tipos de sites que você deve conhecer

Ter uma página online para seu negócio ou como portfólio de carreira é fundamental, especialmente se você é um profissional liberal. Porém, se você já tentou fazer isso, sabe muito bem como pode ser difícil criar um site de boa qualidade. Um dos motivos para isso é que existem vários tipos de sites com características diferentes.

Entender essas diferenças é um bom começo para quem deseja melhorar sua presença online. Dependendo do seu caso, pode ser que você precise de mais de um site à sua disposição.

Para ajudar você com isso, vamos falar um pouco sobre os diferentes sites que você pode criar e como você pode escolher os tipos certos. Acompanhe!

Por que criar um site?

Apesar da grande importância do mundo digital hoje em dia, muitos profissionais ainda resistem à ideia de criar um site. Alguns pensam que é desnecessário, que não se encaixa na sua área de atuação ou que os resultados não justificam o investimento. Essas linhas de pensamento, claramente, são um grande erro.

Ter um site é fundamental para todo e qualquer negócio. Por meio dele, você pode fornecer informações importantes sobre seu serviço, centralizar os contatos que recebe de seus clientes e até criar uma loja para facilitar a venda de seus produtos.

Alguns tipos podem ainda ser usados como cartão de visita para potenciais clientes, enquanto outros ajudam a manter o engajamento com seu público. Em outras palavras, você pode criar sites com as características que você precisa para melhorar o desempenho do seu negócio.

Como escolher o tipo certo de site?

Escolher entre os diversos tipos de sites disponíveis para seu negócio pode ser uma tarefa bem difícil, especialmente se você ainda não entende muito bem o propósito de cada um deles. Vamos explicar esses tipos daqui abaixo, mas é bom entender o que levar em consideração durante essa escolha. Melhor do que ter uma página sem ter resultados.

Primeiro, tenha em mente o que você quer alcançar com seu site. Ele será uma referência sobre seu trabalho? Um ponto de vendas para o seu produto? Um canal para manter seu público informado? Dependendo da sua resposta, você vai precisar criar um site diferente, ou mesmo mais de um.

Essa escolha também influencia a forma como você vai construir a página. Elementos como o layout do site, por exemplo, são amplamente adaptados de acordo com o tipo de site a ser criado. Não apenas por uma questão de praticidade, mas também para se adequar às expectativas do público.

Quais os tipos de sites?

Como mencionamos, há muitas opções de site à sua disposição. Entender as particularidades de cada uma delas será fundamental para fazer a melhor escolha.

Para ajudar, separamos aqui os 12 tipos de sites que você precisa conhecer. Confira.

1. Site Institucional

O site institucional é um dos que você mais vê na Internet. Trata-se de um site que reúne diversas páginas com dados sobre um determinado negócio, como nome da empresa, o tipo de produto, preços, endereço, histórico, entre outras coisas que alguns clientes precisam saber antes de contratar um serviço.

O objetivo deste site, naturalmente, é centralizar os dados do seu negócio para o público. A partir dele, você pode chamar a atenção de seus leads para os demais conteúdos veiculados por sua marca ou, até, direcionar para um contato.

Em geral, empresas com um site institucional são muito bem-vistas pelo público, pois isso é algo esperado em qualquer atividade profissional. E se você atualizar o site com frequência, seu público sempre estará bem informado sobre ofertas, novos serviços e atualizações na sua carreira.

2. E-commerce

Outra figura bem conhecida no mundo online é o comércio virtual, mais conhecido entre as empresas como “e-commerce”. Esse é um tipo de site um pouco mais específico, então você não necessariamente precisa dele no seu repertório. Mas não custa nada entender como ele funciona.

Como o nome já diz, esse é um site para vender seu produto. Quem usa esse tipo de página geralmente são empresas de comércio ou desenvolvedores de produtos, sejam eles físicos ou digitais. Por meio da página, o cliente pode ver todas as informações que precisa sobre a mercadoria, fazer o pedido, efetuar o pagamento e receber o produto.

Para colocar esse site para funcionar, você vai precisar de um pouco mais de ajuda. Além de pensar na formatação, você também precisa de um método de pagamento acessível e integrado com o site, sistemas de segurança digitais, otimização da página, entre outras coisas.

3. Blog

Mais uma figura bem comum e que tem ganhado força nos últimos anos, principalmente graças ao marketing de conteúdo. O blog é, basicamente, um site em que você posta novas informações para o seu público com alguma regularidade. Podem ser suas opiniões, alguma notícia relevante para quem busca seus serviços ou novidades sobre sua própria empresa.

O grande objetivo desse tipo de site é manter o engajamento do público ao longo do tempo, fazendo com que eles lembrem que você existe e continuem a acompanhar sua jornada. Um público cativo é bem mais fácil de converter do que pessoas ainda desconhecidas.

O segredo é manter a regularidade e sempre ter assuntos relevantes para seu público. Com isso, sua audiência vai retornar toda semana, como os leitores de uma revista.

4. Site one page

Na maioria dos sites que já citamos, as informações específicas, como postagens de blog e contatos da empresa, estão separados em diferentes páginas. O principal motivo para isso é manter tudo organizado para quem está visitando, mas não é a única forma de se comunicar com eficiência. É aí que entram os sites One Page.

Pelo nome, você já deve imaginar do que se trata. É um site em que todo o conteúdo está localizado em uma única página, sem necessidade de clicar em outros links para acessar nada.

Isso oferece duas vantagens principais. Primeiro, só é necessário carregar uma única página, o que aumenta a velocidade do site, deixando a navegação mais leve e rápida. Segundo, ter toda a informação de forma clara em um único espaço facilita bastante a leitura em celulares e tablets, que são a principal forma de acesso à Internet hoje em dia.

5. Portal

Depois de um tempo estudando os tipos de sites, criando algumas páginas e reunindo informações, pode ser interessante centralizar a atenção do público em um único espaço. Para isso serve o portal.

Você provavelmente já viu várias dessas páginas por aí, especialmente em sites de notícias e revistas. A ideia do portal é reunir as principais informações sobre um determinado tema ou aquelas que sejam relevantes para o público, criando um agregado com vários conteúdos mais bem direcionados. E caso um leitor queira se aprofundar em um dos temas, ele pode seguir um link para a fonte da informação, que pode ser outro site ou uma página criada por você.

Esse site é muito útil se o seu produto é informação, como é o caso de um produtor ou divulgador de conteúdo.

6. Portfólio

Antes de contratar um profissional liberal, especialmente um designer, você precisa saber como é o trabalho dele. Da mesma forma, para conseguir captar clientes, o próprio designer precisa de alguns exemplos de suas obras expostas em algum lugar. A melhor forma de fazer isso é criando um site de Portfólio.

Mais uma vez, o significado é bem óbvio. Trata-se de um site em que o profissional criativo expõe um ou mais exemplos de seu trabalho, o que ajuda potenciais clientes na sua avaliação como profissional. Ter um portfólio é obrigatório para ser reconhecido em qualquer área criativa, especialmente nas áreas de escrita e artes.

O mais importante nesses sites é ter um design funcional, organizado, limpo e profissional. Suas obras podem até ser menos ortodoxas, mas o site ainda precisa ser legível. A menos, é claro, que você consiga quebrar todos os moldes e ainda oferecer uma boa experiência de navegação.

7. Hotsite

Em algumas situações, como na organização de um grande evento ou promoção, pode ser que o tempo de vida de uma página seja bem curto. Depois de determinada data, manter o domínio aberto seria apenas uma fonte de custo desnecessária para você. Nesses casos, você quer utilizar um Hotsite em vez de uma página convencional.

A explicação simples é que um hotsite, ou “site quente”, é aquele que tem muita relevância agora, mas que vai “esfriar” rápido. Sendo assim, você cria a página já com a intenção de deletá-la depois de um determinado prazo. Pode parecer pouco intuitivo, mas essa tática é muito útil para cortar despesas, além de evitar que um site antigo espalhe informações erradas sobre seu trabalho.

8. Landing Page

Esse é um termo guarda-chuva para muitas coisas que você vê na Internet. Mas, de forma simples, uma landing page é qualquer página de entrada para o cliente chegar ao seu site. Se todas estiverem indexadas aos motores de busca, todas têm potencial para serem uma landing page.

Mas não é bem assim que você deve pensar nelas. Geralmente, os negócios criam uma página com o propósito expresso de ser sua principal landing page. Dessa forma, toda a sua divulgação online pode ser voltada para um único site, já otimizado para captar e redirecionar seus leads.

9. Site para doações (ONG’s e igrejas)

Se você trabalha junto a uma Organização Não Governamental, grupo de caridade ou organização sem fins lucrativos, ainda é importante ter um site para informar pessoas sobre sua causa e permitir que todos contribuam de alguma forma. Para isso servem os sites de doações.

A premissa aqui é bem simples: você cria uma página que contém informações da sua organização, qual é seu objetivo e adiciona uma forma de pagamento. Por meio desse site, você pode receber doações e também informar seu público sobre suas atividades.

10. Site de sistema

Agora já estamos entrando em categorias um pouco mais abrangentes, mas que ainda são relevantes para sua escolha.

Um site de sistema, como o nome deixa a entender, é aquele que tem toda uma estrutura para executar uma função. Esse é o caso dos sites de marketplace, e-commerce, cursos a distância, entre outros. Ao desenvolver cada página, você geralmente já conta com uma estrutura pronta, dependendo da plataforma que está utilizando.

Estes sites são especialmente bons para empreendedores e profissionais liberais que não têm muito domínio da construção de sites, mas precisam de uma estrutura bem-acabada. A maior parte do trabalho já vem feito, faltando apenas a personalização.

11. Site grátis

O nome é bem autoexplicativo aqui. É um site que você pode criar sem nenhum custo, algo bem mais comum do que muitos imaginam.

Várias plataformas de desenvolvimento de sites permitem que os usuários criem um site gratuitamente, mesmo que apenas com uma parte das funcionalidades disponíveis. Outros oferecem um período de teste antes da cobrança.

Em todo caso, não é recomendado usar apenas estes sites para atividades profissionais, a menos que você esteja apenas começando. Eles não proporcionam um domínio e há muitas funcionalidades que você vai precisar se quiser passar uma boa imagem.

12. Site de notícias

Por fim, temos os sites de notícias, que você já deve conhecer bem. Em geral, eles também podem ser portais ou mesmo blogs, dependendo do tipo de notícia que a página costuma cobrir. O único requisito é que esse site contenha informações recentes e novidades sobre alguma área.

Se você trabalha com jornalismo ou quer aprender mais sobre a área, vale a pena criar uma rotina e montar seu próprio site de notícias. Além de ser uma boa prática, também é uma maneira de chamar a atenção de empresas e construir uma reputação como redator.

Agora que você entende melhor quais são os principais tipos de sites disponíveis e quais são suas principais características, é hora de escolher aqueles que mais vão ajudar você promover sua carreira. Você pode começar com um formato básico e expandir à medida que ganhar mais conhecimento, ou buscar ajuda especializada.

Falando nisso, entre em contato com a companhia Link Nacional e veja como podemos ajudar você na sua criação de sites!

WhatsApp chat