Link Nacional

O que é freelancer e como se dar bem no mercado?

por | Atualizado em 26 de fevereiro de 2021 | Destaque

Desde quando se ouviu falar em globalização, no final da década de 80 e início da de 90, o mercado de trabalho se transformou e apresentou uma nova modalidade laboral que, apesar das polêmicas, tem ajudado os profissionais a se recolocarem no mercado, fazerem uma boa renda e mostrarem algum talento: o freelancer, ou freela para os íntimos.

Como funciona a carreira de um freelancer?

O termo freelancer, que hoje significa, basicamente, um profissional que presta serviços de maneira autônoma e sem vínculo empregatício, tem uma origem bem curiosa. Como a própria etimologia nos antecipa, free lancer, em inglês, quer dizer “lanceiros livres”, e foi historicamente criada pelo romancista e poeta escocês Sir Walter Scott no século XIX.

Da personagem medieval da obra Ivanhoé (1819), de Scott, que colocara a sua lança livre (free lance) à disposição do nobre para que lhe pagasse mais para usar tal arma na guerra a seu favor, aos tempos de hoje, alguma coisa mudou.

Continue lendo

Freelancer

Ser um freelancer na contemporaneidade funciona sem o uso de armas ou lanças livres de longo alcance, mas quase numa atmosfera bélica. Afinal, o mercado de trabalho e a sua evidente precariedade e competitividade estão colocando os freelas em pé de guerra: são muitos os profissionais disponíveis e a baixíssimo custo, na maioria das vezes.

Por isso que para a carreira de freelancer funcionar, seja qual a área escolhida ou de formação, é preciso investir em algum diferencial na produção de seu conteúdo, de preferência, no seu talento, e não apenas no seu preço de trabalho (baratear demais pode não ser a melhor alternativa).

O trabalho por conta própria, seja na prestação de serviços para empresas ou pessoas físicas, funciona sem vínculo empregatício, ou seja, sem registro em carteira profissional. Para alguns casos, é necessário abrir um CNPJ, logo, uma MEI (Microempreendedor Individual), para que se emitam notas fiscais de prestação de serviço.

O que eu preciso para ser um freelancer?

A abertura de um CNPJ/MEI normalmente é o primeiro passo para se tornar um freelancer dentro dos requisitos contábeis. Além dessa questão burocrática, há outras de ordem bem pessoal: saber trabalhar em home office com disciplina e organização para cumprir os prazos das tarefas solicitadas.

Outro aspecto que não pode ser perdido de vista: pagamento. A dica da Link Nacional é pesquisar bastante e, se possível conversar com alguém experiente na área e atuando como freela, para saber com precisão como precificar o seu trabalho. Ou seja: se será por horas trabalhadas, por job entregue ou fee mensal.

E não se esqueça do mantra do freela sagaz: crie uma boa rede de contatos e entregue sempre um bom trabalho, com qualidade no material, pontualidade e criatividade.

Quais as vantagens e desvantagens?

As vantagens são muitas e, convenhamos, tentadoras: autonomia e flexibilidade para fazer o seu horário e trabalhando no local onde desejar, sem interrupções e do seu jeito. Outro detalhe que pode ser vantajoso (a depender da área e do profissional): rendimento, já que há diversas modalidades de freela que pagam muito mais do que pela CLT.

A contrapartida principal de ser um freelancer é a instabilidade financeira e os custos extras com a autonomia, que envolvem, por sua vez, os benefícios trabalhistas sob o regime da CLT, tais como o pagamento do INSS, 13o salário, FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e de um plano de saúde (caso o profissional queira, claro) e separar um extra para tirar férias.

Daí ser fundamental que o profissional tenha em mente planejamento e organização financeiras para ter uma grana extra sempre, sem gastos desnecessários.

Freelancer em home office

Como se candidatar a uma vaga de freelancer?

O profissional que decide fazer carreira como “freelancer” precisa criar e manter uma boa rede de contatos. Mas nem sempre isso é possível, sobretudo para quem está iniciando. Por isso é tão importante manter o currículo e o portfólio atualizados e turbinadíssimos nos melhores sites de vagas de emprego, como o LinkedIn e o Behance.

Quais os melhores sites de vagas para freelancers

Currículo e o portfólio atualizados em mãos, empenhe-se em seguir, religiosamente, sites de vagas específicos para freelancers, como os que a equipe da Link Nacional vai sugerir agora:

99 Freelas
Freelancer
Upwork
Fiverr
Workana

Quais as principais áreas de atuação?

As áreas de atuação que estão em voga no momento estão envolvidas com produção de conteúdo para comunicação online e e-commerce, como jornalista, redator/revisor, editor de arte, webdesigner, social media e programador.

Áreas ditas mais “tradicionais”, como contador/contabilista, arquiteto e até mesmo professor também estão em ascensão como freelancer. O que talvez ajude a explicar tal projeção é a difusão (e as suas respectivas facilidades) da modalidade home office.

Como montar um portfólio?

Para um freelancer, portfólio online é tudo na vida! Por isso, recorra a plataformas funcionais, intuitivas e que apresentem o seu material com beleza e muito diferencial. Existem muitas plataformas para valorizar o talento, escolha uma ferramenta de acordo com o seu nicho de mercado e capriche na apresentação.

Nós temos a solução!
5 1 vote
Vote no Artigo
guest
Por favor entre com seu nome completo
Digite um endereço de email válido para uma possível notificação de retorno.
Número de whatsApp para eventual notificação de resposta.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas postagens